MENINA:”Livre-se dessa autopiedade que é um atraso de vida”.

Bom dia!Ontem, revi o fantástico filme sobre a vida de Ray Charles .Ele fica cego aos 7 anos de idade, algum tempo após a morte do seu irmão caçula. O menino se afogou num tanque de água e o pequeno Ray não conseguiu fazer nada para salvá-lo.A mãe de Ray fez algo que pouquíssimas mães que eu conheço fariam: não o super protegeu! Ao contrário: não deu moleza. Ela dizia: “Nunca vou nutrir a sua pena por você porque você nunca terá pena de si mesmo. Nem ninguém. Você vai aprender a escutar melhor, vai ter mais memória para decorar os trajetos, vai se virar. Eu vou te ensinar uma, duas vezes.. mas três, não!”E, de fato, Ray Charles cresce super independente e vai se virando como pode até se transformar num dos maiores músicos da nossa época. Mas a mãe de Ray não o ensinou só a lutar contra os obstáculos da vida, ensinou também a lutar contra os seus fantasmas. Já adulto, o cantor tem alucinações com a morte do irmão. Ele acha que, ao mudar de cidade, deixa a assombração para trás, mas elas sempre vêm junto.Para afastar este fantasma ele se atola no inferno das drogas. Isso começa a destruir sua carreira e a sua vida. Quando temos nossos fantasmas do passado temos que assumir que os vemos e procurar ajuda para sepultá-los, não adianta jogar uma pá de terra em cima. Isso não resolve e ainda atrapalha tudo à volta. E a pessoa se vê mais só do que nunca, e pior: junto com a assombração!  Mas Ray busca ajuda e consegue sair fora dessa, construindo uma carreira brilhante.

Você tem autopiedade quando diz:

“Eu tive uma infância assim e por isso fiquei assim e portanto serei assim, pobre de mim!”. Grande me—! Todo mundo também teve. Você tem que pegar o bicho pelo chifre: busque ajuda, faça terapia, frequente grupos de ajuda, entre para algum treco espiritual que faça sentido pra você. Conheço filhos de alcoólatras, de pedófilos, de espancadores, estelionatários, de rejeitadores, de ladrões, de terroristas emocionais que viraram o jogo porque disseram – NÃO! – à autopiedade.

“Ele me trocou por uma mulher bem mais jovem”. Outra porcaria de frase!. Se o casamento não deu certo, não deu. Dói mesmo, mas você não precisa entrar na síndrome de vítima, da coitadinha velha e abandonada. Caramba! Dá vontade de enfiar o dedo das pessoas que me dizem isso na tomada. Relacionamento é transformação, se acabou é porque o Universo quer que você dê um passo à frente.

“Eu não tenho ninguém, ninguém me quer…”. Ô!!!!!! Até o naúfrago (Tom Hanks) tinha o Wilson. Que diabo de mutante é você que não consegue fazer uma amizade?

“Ninguém cuida de mim?” Afeeee!. Quantos anos você tem pra precisar que alguém cuide de você. Três? Noventa? Quem cuida de mim aqui em casa soy jo! Não tem moleza. Nunca esqueci o que uma pessoa me disse  quando eu estava sem namorado uma época e eu falei que sentia falta de abraçar alguém. Ela disse: “Abrace você!”. E é o que eu faço desde então e ainda digo: “Eu vou cuidar de você!”.

Uma amiga que amo muito, da minha idade, acabou de ser operada de câncer no seio (maior barra!). Hoje ela me disse: “Estou com medo, mas não entrei numas de perguntar: “Por que eu??”. Nota mil para ela. Ficou uma semana na casa dos pais, sendo paparicada, e agora voltou pra casa dela e vai enfrentar o tratamento.. Fantástica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *